Face a Facis

Mais informações sobre a Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo

1000 DIAS MAIS IMPORTANTES DA VIDA

DEFICIÊNCIA DE VITAMINA D NA GESTAÇÃO, PROBLEMA PARA GESTANTE, RECÉM-NASCIDO E NA VIDA ADULTA.

 

            Deficiência de vitamina D (DVD) nas gestantes e seus filhos é problema de saúde, com consequências graves para ambos. É estimada em 20 a 40% a incidência de DVD em gestantes. Durante o desenvolvimento do feto, em momentos críticos que coincidem com períodos de maior multiplicação das células, a exposição a fatores ambientais e nutricionais pode influenciar o crescimento fetal e o desenvolvimento de funções fisiológicas de órgãos e sistemas. Essas alterações podem ter efeitos ao longo da vida. Alterações permanentes em muitos processos fisiológicos, mudando padrões de expressão de genes, condicionam influências de forma e funções (mecanismos epigenéticos: característica estável na divisão celular não determinada pelo DNA do organismo; é como uma herança “adquirida” que modifica suas células e pode ser transmitida para seu filho; exemplo da mãe fumante que pode transmitir até para sua segunda  geração problemas respiratórios não ligados ao DNA ). Essas mudanças na placenta/embrião/feto nos levam a reconhecer a origem no período fetal de muitas doenças da vida adulta.

            Evidências recentes apontam que nutrientes podem modificar a programação imunológica e metabólica do ser em formação. A dieta inadequada, a deficiência de vitamina D e o uso do fumo (veja artigo anterior) na gestação influenciam o desenvolvimento do pulmão, que irá acarretar o aparecimento de asma e doença obstrutiva crônica na evolução da vida do recém-nascido.  Essa relação dos padrões nutricionais, incluída a deficiência de vitamina D, com o desenvolvimento de doenças crônicas está bem estabelecida. Especificamente, a DVD na gestação condiciona doenças como asma, diabetes, problemas esqueléticos (raquitismo congênito, crânio tabes e osteopenia) e várias outras doenças crônicas (intestinais, osteoarticulares…), que ficam programadas na  vida fetal para aparecerem na vida adulta.

            A par dos problemas com o feto/recém-nascido, existem os problemas da gestante.

            Deficiente em vitamina D, a gestante tem um aumento de risco para apresentar eclampsia, diabetes da gestação, vaginose e necessidade de parto cesárea (quatro vezes mais  frequente na gestante deficiente de vitamina D).

            Gestantes devem ficar atentas e sempre devem fazer a dosagem de vitamina D, que baixa e corrigida fará a profilaxia de problemas na própria gestação e na vida do seu filho desde recém-nascido até a vida adulta.

Prof. Dr. Evandro Roberto Baldacci

Livre Docente USP

  • Tags:
Compartilhe

Assine nossa Newsletter